sexta-feira, 22 de abril de 2016

Rede Gloebbels cita Göebbels

O Brasil de 2016 é o atraso. Desde a medieval justiça curitibana até a mídia goebbeliana. A rima neste caso é muito pobre, horrorosa mesmo e os seus efeitos deletérios. Em editorial o jornal da família Marinho ataca Dilma Rousseff por se defender na ONU do golpe. Para eles a presidente deve ficar quieta e permitir o sucesso dos que a estão derrubando. Lendo o texto escrito a mando dos patrões fico imaginando quem foi o editorialista. A frase "a presidente continua colocando o diabo à solta" bateu todos os recordes de imbecilidade. Os demônios foram soltos pelos líderes do golpe, começando pelos três irmãos proprietários das Organizações Globo. Se Satã tem um lado nesta disputa é o do protótipo e o do paradigma do sistema político podre e corrupto que dana o país: Michel Temer e Eduardo Cunha. Além da conjuração de gente estragada que destrói a nação para dar o poder a eles.
A cultura popular massificada e os golpistas estão em sintonia. Os que negam que é um assalto ao poder central o que estão fazendo, contam com uma multidão de servidores. Para eles que subprodutos desinformativos, como o editorial dos Marinhos, são produzidos. O exército amarelo CBF que marcha pelas ruas são os simpáticos serviçais dos vilões, os minions da vida real. O Brasil necessita de uma reforma política profunda e não dar aos arquitetos do caos o poder. Esta coisa óbvia não é vista pelos que estão intoxicados pelas drogas ministradas pelos meios de comunicações. Seja pelos tradicionais, totalmente em defesa dos próprios interesses, seja pelos algoritmos das redes sociais que mantêm os seus usuários em bolhas. Verdadeiros leprosários virtuais, comunidades estanques onde apenas os semelhantes se encontram. 
O manual de redação do jornal O Globo deveria impedir a frase uma mentira dita mil vezes vira verdade em suas publicações, pois é isto que a empresa da família Marinho faz desde a sua criação. Tirando as platitudes para tudo que sobrar é fácil encontrar o lado certo, se as Organizações Globo são a favor sou contra e vice-versa. Antes que me esqueça: até quando, ó Cunha, irás abusar da nossa paciência?