domingo, 6 de dezembro de 2015

Uol notícias: ciência e saúde



Fim de domingo, lendo notícias, uma chamou-me a atenção: 10 países em meio aos quase duzentos do planeta emitem 70% dos gases do efeito estufa. Lendo o texto fiquei imaginando um aluninho do MEC interpretando-o:

- Nossa! Só dez países emitem mais que o dobro dos outros 180 juntos. Justiça climática já! Fechem as fábricas e parem os carros! Por quê a minoria pode prejudicar a maioria e ninguém faz nada... cadê o capitão planeta... antes que a Terra torre.

A desonestidade intelectual dos jornalistas e editores é clamorosa. Os ladrões de notícias apenas esqueceram de dizer que nesses dez países, contaram a União Européia como tal, residem 60% dos habitantes da Terra. Porém, convenhamos, a frase abaixo não seria manchete:

60% dos habitantes da Terra produzem 70% dos gases do efeito estufa,

4,3 bilhões de pessoas vivem nos dez vilões do clima, nos outros cento e oitenta, 2,8 bilhões. Uma não notícia tratada com o alarmismo de sempre quando falam do tal aquecimento global. 

Não basta ler e interpretar apenas o texto. Análise o contexto de tudo que se relaciona ao divulgado e busque os interesses que direcionam o trabalho da dita imprensa imparcial, É muito importante. Nunca se esqueça que escondem  tudo o que pode ser escondido e quando não dá distorcem. Mais importante que um fato qualquer é o viés de quando o publicam, é mais comum a vítima se transformar em criminosa do que pensam. A função da imprensa não é informar, mas ganhar dinheiro e agradar a poderosos interesses.

Aliás a página era patrocinada pela Samarco, a assassina das barragens, uma empresa que na verdade é a Vale e a BHP Billiton, duas das maiores corporações empresariais do mundo, que por umas merrecas a mais no lucro destruíram uma comunidade, mataram um rio e assassinaram pelo menos quinze pessoas. Não esqueçam Mariana.

P.S. Quando alguém diz imprensa livre pergunte-se: livre do quê e de quem?