quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Charlie Hebdo: cães trucidaram porcos



Este é o resumo do ataque terrorista contra a sede do semanário francês Charlie Hebdo.

A virulência do pasquim nunca utilizou como matéria prima os dogmas ideológicos dos seus colaboradores. Ela sempre foi a ferramenta utilizada para a produção do lodaçal no qual chafurdavam. Então atacavam o que consideravam um erro, e eles eram os guias para a erradicação da ignorância.

Repudio o ataque contra civis, as mortes pelas mãos do terror. Não choro os cadáveres. Não os considero um torrão arrastado pelo mar, afinal sempre tiveram como objetivo a destruição do que é sagrado para a grande maioria da humanidade. O seu lado espiritual. Sem eles o gênero humano não foi diminuído. Colocavam-se à parte. Acreditavam-se acima. O encontro com a realidade deve ter sido um choque. O materialismo esquerdista não os salvou.

* Com citação inversa de John Donne.