quinta-feira, 17 de julho de 2014

Quem será o assassino do dia?

Qual nome irá juntar-se a desta seleta galeria de matadores a sangue frio? Homicidas em massa...

General Anatoliy Kornukov - União Soviética / Rússia


O general Kornukov comandou a derrubada do voo 007, um 747, da Korean Airlines, no dia 01 de setembro de 1983. O ataque matou 269 civis próximo à ilha de Sacalina.

Tenente-Comandante William C. Rogers III - Estados Unidos da América


O Comandante Rogers ordenou o lançamento dos mísseis que abateram o Airbus, voo 655, da Iran Air, no dia 03 de julho de 1988, exterminando 290 passageiros no Golfo Pérsico.

Agora quero saber quem foi o responsável pelo ataque ao Boeing 777, da Malaysia Airlines, voo MH 17, sobre a Ucrânia, com 298 pessoas a bordo. O soviético e o americano não foram punidos pelos seus atos. Kornukov chegou ao comando da Força Aérea Russa. O americano foi condecorado com a Legião do Mérito.

Nos dois casos acima morreram quase seiscentos seres humanos. Os soviéticos em 1983 não seguiram as regras internacionais para os casos de invasão do espaço aéreo. Atiraram primeiro e não perguntaram depois. Os americanos fizeram pior, derrubaram o avião iraniano no espaço aéreo do Iran.

Quando a URSS não conseguiu esconder o verdadeiro motivo da queda do 747, da KAL, enfileirou as mais esfarrapadas desculpas. Enquanto os EUA declaram que não houve erro no ataque do USS Vincennes contra uma aeronave civil, conforme declaração do então vice-presidente George Bush. Ao contrário do primeiro caso, quando disse se tratar de crime contra a humanidade, no segundo o presidente Ronald Reagan escondeu-se covardemente. Em nenhum caso sequer houve pedido de desculpa pelas vidas perdidas.

Além dos militares hoje existe um outro personagem, ou outros, quem manteve a autorização para o sobrevoo comercial de uma região em guerra? Tudo para economizar alguns litros de querosene ao não utilizar uma rota mais longa. Este também é assassino, embora não tenha ordenamento o pressionamento dos botões, mas para maior lucro das empresas aéreas.

Além dos casos protagonizados pelas superpotências ocorreram outros. No link abaixo mais informações:

Aviões civis abatidos em situações semelhantes