quinta-feira, 31 de julho de 2014

O templo do Edir da Loterj



Hoje foi inaugurando pela presidente um novo templo, o símbolo de uma era: a da vergonha universal. A aliança entre os execráveis, de um lado o PT e toda a sua carga nefasta para a cultura, a moral e a liberdade individual, de outro a IURD e tudo que representa de destruição dos princípios da fé cristã, avalizando esta conjuração infame a politicagem rasteira e interesseira materializada no presidente do PMDB, não por acaso vice-presidente da república: Dilma Rousseff, Edir Macedo e Michel Temer. Mas não apenas eles. O que ocorreu em São Paulo foi muito além. Esteve presente todo o partido de Judas Iscariotes. Cerraram fileiras traidores grandes e pequenos. Todos com o objetivo único, a destruição da nação brasileira. Geraldo Alckmin compareceu em genuflexão, Marco Aurélio de Melo também. Não importa se petistas, tucanos, situacionistas ou oposicionistas, políticos ou servidores do Estado, todos honrando a abominação social. Todos os bandos que desgraçam o Brasil fizeram-se representar.

A teologia da chamada igreja universal e a ideologia petista, como a da esquerda em geral, não diferem. Ambas preconizam, por mera prestidigitação, a distribuição de alguma prosperidade material entre os fiéis/militantes em troca da alma. O princípio do prato de lentilhas. Por uma satisfação imediata a aceitação da supressão dos direitos inerentes ao ser humano por toda a vida.

Tendo em vista os presentes no espetáculo depravado, o acúmulo dos materiais de construção localizado em São Paulo jamais será um Templo de Salomão. Lá não existe sabedoria, mas a vil astúcia. A esperteza dos oportunistas e exploradores. Para simbolizar o empreendimento apenas alguns personagens bíblicos são capazes de atender aos requisitos. Herodes é um deles, o usurpador e infanticida. O resto é loteria espiritual, vende bilhete para entrega futura do prêmio no além.