terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Brasil: previsões para 2014

Os pré-candidatos se mobilizando para 2014

Janeiro

Apesar das promessas mirabolantes de quem mora onde não alaga, a presidente Dilma e os governadores, como um tal Sérgio Cabral, as chuvas continuarão levando milhares de brasileiros ao desespero. 

Fevereiro

Após o nível das águas baixarem o país entrará em recesso aguardando o carnaval.

Março

Todo mundo doido para o mundo se acabar na quarta-feira, mas ele continuará.

Abril

As categorias que trabalham nos serviços essenciais começarão a se mobilizar para extorquirem um reajuste bônus devido à copa do mundo da FIFA.

Maio

Com o início dos desembarques das seleções estrangeiras grupos extremamente populares como o MPL e os black blocs  convocarão manifestações vazias para cabeças ocas. O braço armado do PT reunido no MST e na CUT não adererirá em apoio ao governo do povo popular.

As manifestações serão um sucesso... no Facebook e no Youtube.

Junho

Rolará a bola. Os telejornais noticiarão: partidas de futebol, protestos isolados, mas incômodos e devidamente dispersados pelas forças da lei e da desordem, e patrocinadores da FIFA nos intervalos.

Serão realizadas as convenções partidárias com traço de audiência. Se a Dilma for substituída por uma abóbora ninguém notará a diferença.

Julho

E o campeão do mundo será... não sei! Perguntem à mãe Dináh!

Começará a campanha eleitoral. Depois das emoções previsíveis do futebol o velório político.

Agosto

A presidente Dilma Rousseff fugirá dos debates como ela mesma da cruz.

Os candidatos da oposição ficarão numa posição esquisita, um roçando no outro para ver quem crescerá mais e chegará ao segundo turno.

Setembro

O cenário eleitoral estará indefinido. Dilma liderará as pesquisas, mas os opositores procurarão a bala de prata.

Lula se jogará de cabeça na campanha, após tropeçar com uma garrafa na mão e nenhuma ideia nova na cabeça.

Outubro

Uma espessa névoa impede ver com clareza o que ocorrerá. Os dementadores eleitorais reproduzir-se-ão geometricamente sugando as esperanças dos eleitores.

O TSE divulgará o resultado oficial, desde o retorno das eleições diretas em 1989 pela 7ª vez consecutiva o Brasil será derrotado.

Novembro

A copa acabou, a eleição passou e o mês se iniciará como todos os demais no Brasil, com finados.

Dezembro

Enfim o último mês do próximo ano. O ciclo se encerrará, nada acontecerá e continuaremos a ser o eterno país do futuro.