sábado, 21 de setembro de 2013

O joio


"Os semeadores espalharam boa semente em seu campo, mas enquanto dormiam veio o inimigo e semeou joio em meio ao trigo."

Betto entre iguais. Não há trigo.


As vezes tem-se a impressão que ele serve a dois senhores, mas é mentira. Serve apenas a um. Um judeu de longas barbas, com um grande número de seguidores em todo o mundo. O seu nome: Karl Marx. Este é o mestre de Carlos Alberto Libânio Christo, vulgo frei Betto. Por quê digo isto? Leia o trecho abaixo, do artigo Cultura segregacionista:

"A segregação é uma cultura e impregna o instinto. A reação ao diferente é impulsiva, irracional. Como a do ianque que despreza muçulmano por identificar nele um terrorista em potencial; do judeu sionista em relação a árabes; do branco racista frente ao negro; do cristão homofóbico diante de um homossexual.

Essa cultura nefasta impregna também governos e instituições. Chega a ser atávica, inconsciente. A família diz não ser racista, até o dia em que a filha, branca, loura, de olhos claros, apresenta o namorado negro..."

A desonestidade do batina do Fidel é imensa. Ele é um instrumento ideológico, que conscientemente deturpa a verdade e mente em prol da causa. Não é um frater, mas mero camarada. Falar em perseguição aos diferentes no mundo hoje é impossível sem citar as maiores vítimas atuais: os cristãos. Sejam eles árabes, negros ou amarelos, até mesmo europeus e americanos.

No oriente médio os cristãos estão em extinção, não por espontânea conversão a outra fé ou abandono da sua, mas sim pelas perseguições que os obrigam ao exílio, sob pena de serem assassinados com seus familiares. São vítimas indefesas no Egito e no Iraque pela leniência dispensada aos seus perseguidores pelos governos, estes também instrumentos de segregação contra os cultos minoritários. Os martírios estão agora se iniciando na Síria, com o apoio de vários países ocidentais aos grupos terroristas islâmicos que os executam.

Nigéria e Sudão são dois países africanos nos quais é comum a morte dos seguidores de Cristo, pelo simples motivo de professarem uma fé diferente da dos seus algozes. Os massacres se sucedem e os que dizem defender os oprimidos não se importam.

Segregação violenta aos cristãos ocorre do litoral atlântico da África até à distante Indonésia. A cultural no resto do mundo. No entanto alguém já viu uma ONG ligada à essas pessoas, Betto e os seus amigos como Lula e Fidel, falarem algo sobre esta intolerância? Nunca! São eles os seus justificadores lá ou promotores aqui.

A realidade hoje é que os cristãos ocupam o topo dos que sofrem perseguições e violências por serem diferentes, porém para esse "religioso cristão"  isto não interessa. As vítimas por ele citadas são alvo sim de segregação e discriminação, mas se comparados aos cristãos, grupo ao qual Betto diz pertencer, são minoria.

No seu artigo fica claro o desprezo que possui pelos que não se enquadram nos seus cânones políticos. As vítimas fatais do fanatismo continuam em sua maioria árabes e negros, no entanto estas não são consideradas porque são cristãs. Para o seguidor do marxismo cultural politicamente correto os seus oprimidos islâmicos anti-imperialistas podem e devem agir, com todos os meios e por todas as formas disponíveis, contra os seus "opressores", mesmo que estes sejam crianças, mulheres e idosos mais pobres e mais fracos.

Mas por quê Betto falou sobre a segregação? Porque o avião do "índio" Morales foi bloqueado na Europa e o namorado do jornalista Glenn Grenwald foi detido por algumas horas em Londres. Onde está a segregação nestes casos, alguém será capaz de encontrar? Não foram retidos e revistados pela origem racial ou condição sexual, isto não importou. O fato é que estavam em choque com o poder, os EUA, nestes casos a história demonstra fartamente que se o presidente da Bolívia fosse um nórdico ou o David Miranda fosse noivo de uma Glenda os acontecimentos teriam ocorrido exatamente do mesmo modo.

A mistura forçada das causas e dos efeitos é deliberada, subordina-se a um objetivo maior: não importa o ato suposto ou praticado, as retaliações contra as minorias que elegeram sempre ocorrem devido a maldade inata dos vilões que escolheram: brancos, judeus e cristãos, enquanto não redimidos pela luz do marxismo. Para eles só Marx salva!