sábado, 7 de setembro de 2013

7 de setembro

"Há diversas modalidades de Estado: os estados socialistas, os estados corporativos e o estado a que isto chegou!..." 

Que a Independência não tarde no horizonte do Brasil. De dependente periférico dos países centrais a periférico dependente dos bolivarianos. Que o povo acorde e quebras as lâminas desta tesoura que há décadas é utilizada para podar o futuro do nosso país. A herança nefasta lulotucana retrocedeu o nosso país a mero provedor internacional de matérias primas e eterniza a nossa dependência externa.






Hino da Independência

Música: D. Pedro I
Letra: Evaristo da Veiga

Já podeis, da Pátria filhos,
Ver contente a mãe gentil;
Já raiou a liberdade
No horizonte do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.

Os grilhões que nos forjava
Da perfídia astuto ardil...
Houve mão mais poderosa:
Zombou deles o Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.

Não temais ímpias falanges,
Que apresentam face hostil;
Vossos peitos, vossos braços
São muralhas do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.

Parabéns, ó brasileiro,
Já, com garbo varonil,
Do universo entre as nações
Resplandece a do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.