quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Em política deve-se justiçar e não fazer justiça

È mentira?

Frases do escritor espanhol Arturo Pérez-Reverte sobre o escândalo de corrupção envolvendo o partido governista, PP, o presidente de governo, Mariano Rajoy, a cúpula partidária e o "Delúbio" deles, o tesoureiro Luis Bárcenas. Aplica-se perfeitamente ao Brasil e aos nossos partidos.


"Deveria haver vários cadáveres politicamente decapitados expostos em frente ao Palácio. Com corvos esvoaçantes ao redor. Se entre eles estiver algum inocente, azar. Política é como a vida. Possui riscos."

"Em política não é tão importante fazer justiça como justiçar. Melhor um político inocente justiçado que dez corruptos livres." 

"Existe uma partidocracia impune."

"Os antigos tinham hábitos espetaculares. Decapitavam os ministros corruptos em praça pública, como exemplo."

"Nem um se suicida em Espanha. Nem banqueiros e nem políticos. Curioso detalhe."

Não sou tão conformado quanto ele. Ainda acredita que a maior parte dos políticos são honrados, que se tornam vítimas junto com eleitores dos inescrupulosos que se aproveitam do sistema. Isto para mim não existe. Basta aceitar o jogo para comer farelo. Ao surgirem indícios de corrupção o afastamento do cargo deve ser imediato. Que tente provar a sua inocência, fora do governo.

Resta saber quando os espanhóis ouvirão... ¡Medios golpistas!

Fonte: Pérezreverte