domingo, 3 de fevereiro de 2013

A Falha de São Paulo erra novamente

Matéria do jornal da famiglia Frias, Metade dos gastos de Dilma vai para programas sociais, assinada por Gustavo Patu, chama a previdência social de programa de transferência de renda. Quando alguém se aposenta ele está recebendo uma benesse ou exercendo um direito? Durante décadas, trinta ou trinta e cinco anos, ele pagou mensalmente para obter esta garantia no fim da vida. Isto é transferência de renda?

Parece que o jornalista desconhece os dois grandes sistemas de aposentadoria: repartição e capitalização. O que ele chama de "transferência" é a repartição dos valores recolhidos pelos atuais contribuintes para bancar os recebimentos de quem já contribuiu. Espero que seja apenas desinformado e não mentiroso. O sistema de aposentadoria urbano mantido pela Previdência Social é superavitário. Não recebe um real de subsídio público. Aliás o Estado apenas o administra e ainda se apossa das sobras.

Dos programas sociais listados na reporcagem, que representariam R$ 405 bilhões do orçamento da União, apenas o bolsa família é criação do governo petista. Este utiliza 5% do valor total. PIS/abono salarial e aposentadoria rural, por exemplo, são herança da ditadura militar.

Excluíndo os encargos da dívida pública este montante é de 50,4% do orçamento. Por quê então não mostrar o peso dos encargos da dívida pública?

Destinação dos recursos da União para 2012

Alguém já viu a imprensa se preocupar com o valor gasto pelo governo com juros e amortizações da dívida pública? Será que isto não ocorre por quê os maiores beneficiários são os banqueiros e os grandes investidores? Estes que são os grandes anunciantes e os sócios das empresas de comunicação.

Lendo os comentários no próprio site do jornal e também nos blogs que repercutiram a obra (no sentido nordestino) de Gustavo Patu, vemos que jamais o PT será derrotado eleitoralmente enquanto esta mentalidade prevalecer. Infelizmente esta é a verdade. É impossível fazer frente à máquina petista com o ranço da UDN, aquela que não precisava do apoio dos marmiteiros.

Existem programas sociais e compra de apoio eleitoral. Não são necessariamente a mesma coisa. Transformam-se nisto se o beneficiário sentir que o outro irá retirar os R$ 70,00 mensais que saca na lotérica.

Não é extinguindo o bolsa família, deixando os trabalhadores rurais idosos e os deficientes de famílias socialmente vulneráveis por conta da caridade que salvaremos as finanças públicas. Os programas que não possuem fontes próprias de receita não chegam a 1% do PIB. Enquanto isto os juros e amortizações da dívida pública ultrapassam os 20% de tudo que é produzido no Brasil.

P.S. Para quem não sabe quem são os marmiteiros vá ao Google. eduardo gomes + marmiteiros.