domingo, 6 de janeiro de 2013

CO2: negócio da China, para os alemães



O site do WWF noticiou que o estado do Acre irá receber 16 milhões de Euros por não ter emitido 4 milhões de toneladas de CO2. Segundo o governador petista Tião Viana:

“A parceria com o KfW é um belíssimo ato de reconhecimento, solidariedade e cooperação do banco alemão. Mesmo vivenciando uma crise financeira, ele prefere acreditar nas boas práticas de desenvolvimento, com a preservação dos recursos naturais e a melhoria da qualidade de vida da população”

Os alemães estão pagando cerca de 4 Euros por tonelada de CO2 não emitida aqui para ser repassada aos emissores de outros países. Provavelmente na União Européia, onde isto faz parte das políticas comunitárias. Quem não emite recebe e quem emite paga. O banco alemão irá ter um belo lucro com isto. Alguma empresa lá irá desembolsar para comprar estes créditos gentilmente cedidos pelos acreanos. A cotação no mercado europeu está oscilando entre 7 e 8 Euros. Interessante ver como eles realmente são solidários e cooperativos.

Deixando isto de lado. Não é este mercado morto o que realmente importa. A China emite cerca de 34 bilhões de toneladas anuais de CO2 para um PIB ao redor de 6 trilhões de Euros. Para cada tonelada de CO2 o PIB gerado é em média de 176 Euros. Como podemos ver para salvar o mundo do terrível CO2 troca-se 100 por 2,5. O REDD+ são os espelhinhos e miçangas para os petistas do Acre.