segunda-feira, 5 de novembro de 2012

A relação perniciosa

Ratings combinados entre as agências de classificação de riscos e os seus clientes. Acreditar na independencia dos avaliadores quando são pagos pelos interessados é contar com uma inexistente honestidade ou com a sorte.

A agência Standards & Poors foi condenada na Austrália, junto com o ABN Amro, pelos prejuízos provocadas aos governos municipais que perderam os seus investimentos em um fundo do banco holandês. O rating era AAA e tão sólido que o rombo final foi superior a 90% da aplicação. A decisão da justiça abre caminho para que recuperem o valor original e as despesas decorrentes do processo, o montante atual está em torno de 30 milhões de dólares australianos.

A juíza Jayne Jagot, do Tribunal Federal de Sydney, considerou que a avaliação era fraudulenta, enganosa e continha informações ou declarações falsas. A agência vai recorrer. Se não obtiver sucesso no recurso terá contra si um precedente a ser utilizado pelos crédulos que confiavam em seus ratings. Somente os fundos do ABN causaram uma devastação de 200 bilhões de dólares através do mundo.


E na Austrália a quadrilha ainda sujou um nome. A arapuca lá era batizada como Rembrandt. 

Um caso de parcialidade na classificação

Conselhos vencem caso contra S & P e ABN

Conselhos vencem luta contra S & P e ABN