domingo, 14 de outubro de 2012

O doutor em ciências políticas

Li um artigo de autoria do cientista político wanderley guilherme dos santos sobre a condenação dos mensaleiros. O título é Divulguem a teoria política do Supremo. Ele é um dos principais ideólogos da roubalheira revolucionária. Seus textos repercutem muito nos blog e sites lulodependentes. O principal objetivo é afinar o discurso dos militantes. Os tontos e os pagos.

Para um doutor em ciências políticas por Stanford esperava-se algo mais consistente e não um amontoado de lugares comuns e chavões da esquerda rasteira. Mas o petismo é isto. Importa apenas a interpretação que divulgam. Base nos fatos não interessa. Apenas a manipulação crua e nua para fortalecer a causa.

Licitamente derrotados, os conservadores e reacionários encontraram no Supremo Tribunal Federal o aval da revanche.

Gostaria de saber quem são estes conservadores e reacionários que manobraram o supremo para conseguirem a revanche. O pior, revanche contra o quê?

Os quase quarenta milhões de brasileiros arrancados à miséria são, segundo estes analfabetos funcionais em doutrina democrática, filhos da podridão, rebentos do submundo contaminado pelo vírus da tolerância doutrinária e pela insolência de submeter interesses partidariamente sectários ao serviço maior do bem público. Bastardos igualmente os universitários do Pró-Uni, aqueles que pela primeira vez se beneficiaram com os serviços de saúde, as mulheres ora começando a ser abrigadas por instituições de governo para proteção eficaz, os desvalidos que passaram a receber, ademais do retórico manual de pescaria, o anzol, a vara e a isca.

Excomungados os que conheceram luz elétrica pela primeira vez, os empregados e empregadas que aceitaram colocações dignas no mercado formal de trabalho, com carteira assinada e previdência social assegurada. Estigmatizados aqueles que ascenderam na escala de renda, comparsas na distribuição do butim resultante de políticas negociadas por famigerados proxenetas da pobreza.

Degradados, senão drogados, os vitimados pelas doenças, dependentes das drogas medicinais gratuitas distribuídas por bordéis dissimulados em farmácias populares. Pretexto para usurpação de poder como se eleições fossem, maldigam-se as centenas de conferências locais e regionais de que participaram milhões de brasileiros e de brasileiras para discussão da agenda pública por aqueles de cujos problemas juízes anencéfalos sequer conhecem a existência.


Qual o motivo ou as ofertas que levaram Joaquim Barbosa, Luiz Fux, Rosa Weber, Ayres Britto e Carmem Lúcia a agirem contra aos programas sociais segundo o doutor em ciências políticas por Stanford. Por quê será que eles pretendem reverter à miséria os quarenta milhões que passaram a integrar a classe média do lula?  Eles foram indicados por lula e por dilma rousseff. Foram tão incompetentes na escolha para indicarem inimigos do Pró-Uni, do Luz para todos, da formalização do mercado de trabalho, etc., etc. e etc.?

Voltando aos que teriam utilizado o STF para uma vingança.

Seriam os tucanos? Mas estes mesmos programas sociais redentores, nas palavras de wanderley guilherme dos santos, originaram-se no governo fhc. Tiveram continuidade no governo lula. Se eles odiavam tanto por qual motivo então os criaram?

Seriam os banqueiros? Ora, no governo lula estes alcançaram os maiores lucros da história. A exceção do presidente do itaú que ainda mantém uma certa distância, embora seja um dos maiores doadores para as campanhas petistas, os demais aderiram organicamente ao governo.

Seriam os grandes empresários do setor produtivo? Mas qual deles? Todos vivem em contubérnio com o BNDES. Os campeõs nacionais do setor empresarial contam com farto financiamento a juros subsidiados. Para os já muito ricos nunca foi tão fácil se tornarem bilionários.

Seriam as multinacionais objetos do ódio petista no passado? Espera aí. Não é o próprio governo que se auto-elogia dizendo que nunca os investimentos externos foram tão grandes como agora. Se eles estão vindo aos montes parece-me que o principal está assegurando: o lucro.

Se estes não teriam motivo quem então? Um escoteiro de classe-média, com um canivete e um totó? O pároco tradicionalista de Santo Afanásio dos Afortunados? Seria Dona Candoca, de Burburinho dos Egoístas, viúva do Dr. Praxedes Aristocrata e presidente da Associação das Senhoras do Sagrado Coração do Preconceito?

Quem compõem esta elite reacionária e conservadora tão poderosa a ponto de fazer os próprios ministros indicados pelos governos petistas agirem contra os seus patronos?

Na minha modesta opinião de leigo não doutorado em Stanford é a Justiça. É contra Ela que o professor se insurge. Prefere o crime à virtude. Lógicamente em nome da revolução.