sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Libertad presa por dívida

Fragata Libertad


A fragata Libertad da Armada Argentina está retida em Gana. O navio escola foi impedido de deixar o porto em Tema por ordem judicial. O arresto foi pedido pelo fundo abutre NML Capital. Para a liberação do navio é preciso depositar uma fiança de US$ 20 milhões. Coisa que o governo argentino se negou a fazer.

Exigem pagamento no valor de US$  284 milhões mais juros pelos títulos argentinos que possuíam. Os abutres não aceitaram a renegociação da dívida imposta no início da década passada pelo governo durante a maior crise econômica vivida pelo país. O impasse até o momento resultou nas demissões do chefe da marinha, o almirante Carlos Alberto Paz, e da diretora de inteligência da arma, Lourdes Puente Oliveira, dentre outras autoridades.

Está é uma história repleta de humilhações, ganância e mau cheiro. Humilhação da República Argentina. Um navio militar retido em um porto do quarto mundo e não tem a menor condição de fazer com que retorne por meios próprios. A rainha K. é a responsável direta por esta página vergonhosa. A arrogância e os rompantes da suprema mandatária dentro das fronteiras são mais fracos que miados fora delas. Recorreu aos países que possuem marinheiros nesta viagem para obter apoio diplomático. Brasileiros, chilenos, uruguaios, venezuelanos, peruanos, sul-africanos e pasmem: bolivianos e paraguaios. Junto com os argentinos estes também estão retidos desde 02 de outubro. Os credores "gentilmente" ofereceram aos hóspedes à força na aprazível nação africana o repatriamento às suas custas.

NML Capital é um dos muitos fundos abutres que existem no planeta. Sua única missão é o lucro pelo lucro. Sua existência não produz um único prego, um grão de cereal ou que quer que seja. Especulação pura e simples. Apenas a reprodução do dinheiro, sem nenhuma preocupação com os efeitos dos seus "investimentos" no mundo real. A ganância desenfreada.

O mau cheiro exala da Corte Superior de Comércio de Gana. Embora tenha perdido várias ações judiciais em muitos países nenhum tribunal, seja ele americano, inglês, suíço, etc, determinou a apreensão de bens pertencentes à Argentina. Até chegar ao excelentíssimo Richard Agyei-Frimpong. Ele prontamente atendeu ao pleito e determinou o apresamento do buque. A justiça de Gana reeditou as velhas cartas de corso. Mais uma vez os beneficiários diretos são verdadeiros piratas. A ganância vence em Gana.